Junho é o mês das festas de São João, conhecidas e adoradas por suas divertidas e apetitosas tradições. Quem nunca recortou bandeirinhas ou nunca dançou quadrilha? Quem nunca assistiu a um casamento caipira e se deliciou comendo um pedaço de bolo?

O mais atrativo nas festas juninas, trazidas pelos portugueses, talvez seja a culinária típica à base de milho, que oferece deliciosas opções para matar a fome enquanto se aprecia a festa ao redor de uma fogueira. Entre as comidas típicas de São João estão a pipoca, a canjica, a pamonha, o bolo de milho, a paçoca, o pé de moleque, o pinhão e, para beber, o quentão.

Algumas dessas delícias, porém, são características da região em que ocorre a festa, ficando restritas àquele lugar, mas festa junina sem o quentão não é a mesma coisa. Aprenda a fazer essa saborosa bebida e entre no clima de uma das festas mais adoradas em todo o Brasil!

Ingredientes:

– 1 garrafa (750 ml) de vinho tinto suave;

– a mesma medida de água;

– 1 xícara (chá) de açúcar;

– 20 cravos da índia;

– 10 paus de canela;

– cascas de duas laranjas;

Modo de preparo:

Em uma panela, leve ao fogo a água, o açúcar, o cravo, a canela e as cascas de laranja. Mexa até dissolver o açúcar. Quando começar a fervura, abaixe o fogo e deixe ferver por 20 minutos.

Acrescente o vinho. Depois que a fervura recomeçar, aguarde mais 5 minutos.

Desligue o fogo, sirva imediatamente e tenha um ótimo “arraiá”!


Existem várias diferenças marcantes de geração para geração, porém, uma coisa nunca muda, crianças não gostam de comer legumes e verduras – que possuem nutrientes importantes no período de crescimento das pessoas.

Uma maneira interessante de fazer os mais novos comerem alimentos saudáveis é o Arroz Verde. Segundo recente matéria do New York Times, o Green Rice (Arroz Verde) é a mistura de espinafre com o arroz comum, o que gera um gosto de ervas muito apetitoso.

A receita é simples: duas xícaras de água, uma xícara cheia de espinafre, meia xícara de folhas de coentro, uma colher de sopa de azeite, uma xícara de arroz e sal a gosto.

Para preparar é só bater o espinafre e o coentro junto com a água no liquidificador, misturar ao arroz e cozinhá-lo normalmente.

Por Thiago Martins

Fonte: New York Times


Mais uma receita típica das festas juninas. O Curau de milho. Essa delícia (que parece um pudim de milho) pode ser enfeitado da maneira que quiser.

Ponha 3 xícaras de milho verde e 1 xícara de água no liquidificador. Bata até ficar parecido com um purê. Retire-o e adicione 4 xícaras e meia de leite. Coe o excesso apertando com uma colher. Coloque a mistura de milho e leite em uma panela e cozinhe em fogo baixo por 20 minutos. Junto com 1 xícara de açúcar e 1 colher de sopa de maisena (cuidado com os grumos). Mexa bem. Por fim, coloque em uma forma untada, deixe esfriar e leve à geladeira até ficar firme. Depois de algumas horas, desenforme e polvilhe com canela (se quiser).

Foto: Site Informação Nutricional

Por Ana Carolina Rocha

Fonte: Rev. Ana maria ed. 55 p. 4 data 17 de junho de 2002


Purê de Batata, macio, molinho e acompanha quase tudo na cozinha. O melhor ainda nesse inverno, que pode consumi-lo até puro.

Nesta receita, ele leva um toque de ervas:

Aqueça 3/4 de xícara de chá de azeite até ferver. Acrescente 2 dentes de alho, 1 folha de louro, 3 raminhos de tomilho, 1 colher de sopa de folhas de salsinha 1 galho de alecrim. Tampe e deixe tomar gosto por 30 minutos. Não esqueça de tirar o azeite da panela, obviamente. Depois retire o alho e as folhas e reserve. Cozinhe 500g de batata em água fervente com sal. Passe para o espremedor como se fizesse um purê normal. Junte as batatas e o azeite e mexa bem. Coloque meia xícara de creme de leite e misture até ficar no ponto. Tempere à gosto.

Por Ana Carolina Rocha

Fonte: Revista Ana Maria p. 14. Data 17 de junho de 2002. ed. 55


Uma delícia cremosa e suave que vai bem a qualquer época do ano: Mousse!

Nesta versão o chocolate utilizado é ao leite, mas você pode trocar por um de sua preferência (só tome cuidado com o chocolate branco pois como tem mais gordura, precisa ser bem manipulado).

Receita:

Amoleça 6 folhas de gelatina sem sabor em água fria e dissolva em meia xícara de água fervente. Corte meio quilo de chocolate em pedaços e derrata-o em banho-maria. Sem parar de mexer, junte 250g de açúcar, 50g de manteiga e 12 gemas. Adicione a gelatina e as claras dos 12 ovos separados (importante lembrar para bater antes). Bata tudo com o garfo até que fiquem homogêneos (esse é o segredo para um bom mousse, é necessário ter suavidade). Leve para gelar e decore, utilize como recheio ou simplesmente saboreie essa delícia.

Por Ana Carolina Rocha

Fonte: Livro Dona Benta pg 705 – Seção Bavaroise, Gelatinas e musses


A acelga é muito parecida com um repolho, mas é mais azedinho e alongado. Nos é familiar pelo yakissoba, um dos ingredientes do prato.

Nesta receita ela leva o molho branco:

Primeiramente corte com uma faca pequena 1pé de acelga, retire o talo e cozinhe em água fervente com um pouquinho de sal. A parte das folhas é reservado para fazer a salada. Assim que estiverem bem cozidos e macios, disponha-os em refratários e 1 colher de sopa do suco de limão. Cubra com molho branco (farinha de trigo e manteiga dourado na panela, leite fervente aos poucos e noz moscada). E coloque um pouco de queijo ralado (fresco é ainda melhor). Leve ao forno para dourar.

Sirva como acompanhamento de alguma carne mais seca.

Por Ana Carolina Rocha

Fonte: Livro D. Benta p. 249 seção – verduras, legumes e batatas


O suflê, massa bem leve que deve ser comida na hora, é francês e pode ser salgada ou doce. Nessa versão leva o legume couve-flor.

Pegue 1 xícara e meia de chá do ingrediente picado e misture com molho bechamel quente. Coloque 1 colher de sopa de queijo ralado,1 pitada de sal e 3 gemas. Mexa bastante e deixe esfriar. O segredo do suflê é bater claras em neve bem pontudas pois é a base do quitute. Adicione bem delicadamente a mistura antes preparada. Depois, ponha a massa em uma forma para suflê untada com margarina ou óleo. Leve ao forno alto e asse por 20 minutos.

O ponto interessante da receita é que o couve-flor pode ser substituído por cenoura ou alcachofra.

Por Ana Carolina Rocha

Fonte: Livro Dona Benta p. 177 parte: ovos, omeletes, suflê


As coxinhas de frango são um marco brasileiro. Modelada em gota, recheada com frango e outro ingrediente cremoso para fazer companhia. Para ser gostoso tem que estar bem dourado.

Eis a receita:

Cozinhe 2 peitos de frango em 1 xícara de chá de caldo de frango. Esfrie e desfie, e reserve o caldo. Coloque no espremedor 6 batatas cozidas, acrescente meia xícara de leite, uma xícara do caldo reservado, sal, salsinha, noz moscada e pimenta-do-reino. Leve ao fogo médio e misture bem. Mexa e acrescente aos poucos farinha de trigo até que solte da panela.  Faça bolinhas (ou bolonas) achate e recheie com o peito de frango (fica livre para quem desejar colocar mais recheio) molde no formato de coxinha. Passe por 2 ovos batidos com garfo e depois na farinha de rosca. Não mexa muito na coxinha para evitar que ela fique gordurosa.

Por Ana Carolina Rocha

Fonte: Livro de Receitas Dona Benta pg. 65


O bolinho de queijo está no cardápio das festinhas, petiscos e para testar seus conhecimentos tente fazer essa receita bem fácil do magnânimo livro da Dona Benta (aquele que ela aparece com um bolo na mão e o menino debruçado sob ela com as mãos sobre a face de olho na gostosura).

Misture 1/4 de queijo de minas com 4 ovos e junte 1 colher de chá de polvilho; 1 pitada de sal e 1 pitada de noz moscada. Depois, faça bolinhos com as mãos e frite-os em óleo quente. Após dourar bem, retire e coloque no papel absorvente.

Uma receita simples, prática e deliciosa!

Por Ana Carolina Rocha

Fonte: Comer bem, Dona Benta, 76 ed., Ed. Companhia Nacional, São Paulo: 2007 p. 65


A Suíça não é só capital de chocolate, montanhas, bancos e um ótimo lugar para se viver. Lá também se tem uma receita de salada feita com um queijo originário de lá – o gruyére – surgiu na cidade e possui esse nome de massa dura e encorpada ).

Modo de preparo:

Descasque 1 dente de alho, corte ao meio e esfregue no fundo de uma vasilha. Lave e escorra 1 pé de alface lisa, corte em tiras e coloque na vasilha. Corte 100g do queijo suíço em tiras finas e coloque sobre a alface. Até aí muito simples.

Agora, para o molho: coloque 1 colher de sopa de mostarda, 3 colheres de sopa de azeite de oliva extravirgem, 1 colher de vinagre, uma pitada de sal, e pimenta do reino branca – você pode comprar em grãos e acrescentar na hora para ficar mais fresco.

Por Ana Carolina Rocha

Fonte: Livro de Receitas da Revista Cláudia. A grande Cozinha. vol. 8 Saladas, p. 110


Saladas, no inverno, não são pratos muito apreciados, porém essa de roquefort é bem especial e dá para abrir o apetite pois contém radicchio (tipo de chicória), que possui muitos nutrientes e uma leve ação contra a gripe.

Primeiramente lave as seguintes verduras:

– 1cabeça de radacchio;

– 1 de escarola;

– 1 de erva doce;

– 1 nabo.

Depois fatie bem fininho a erva-doce e corte em tiras o restante. Coloque tudo em um prato de servir com metade do nabo. Esfarele o queijo, 100g  de roquefort (queijo francês de ovelha com veios azuis, que são os fungos que são inseridos na maturação do queijo durante três meses), pique 1 colher de sopa de nozes e pistache e junte ás verduras picadas.

Para o molho:

– 1 colher de sopa de mostarda;

– vinagre de maçã a gosto;

– 3 colheres de sopa de vinho do Porto.

Pode decorar com o restante do nabo picado.

Por Ana Carolina rocha

Fontes: Jaimeleroquefort.fr, Livro Cláudia Receitas A Grande Cozinha p. 30 – Saladas 


A raspadinha, aquele gelinho no copo, de acordo com o estudo do professor e fisiologista Paul Laursen, (estudioso sobre o corpo e esportes neozelandês) traz benefícios para atletas.

O superaquecimento do corpo provoca fadiga e atrapalha o desempenho de corredores e a bebida gelada ajuda mais que os coletes que são usados por profissionais. O pesquisador queria uma receita mais rápida e caseira, ele diz que não é como deitar em uma banheira de gelo, mas ajuda.

A receita é bem simples: faça uma calda de 225g de açúcar com 600ml de água fervente. Triture bem o gelo adicione a ele a calda e polpa de fruta ou groselha. Simplesmente coloque no copo e tome.

Por Ana Carolina Rocha

Fonte: Folha de S. Paulo 13 de maio de 2010 . Caderno Equilibrio p. 3


Frescor e tempero na cozinha, são características essenciais para degustação e saboreio de um prato. Então aí vão algumas dicas para realçar e melhorar alguns ingredientes como a uva passa.

O ingrediente usado em bolos, panetone, saladas, vem em pacotes fechados, seca e até dura. Antes de utilizá-la coloque sobre o vapor de água fervente por 5 minutos. Ficam bem mais macias. Outra dica para deixar os legumes mais saborosos, especialmente picles é ferver vinagre e um pouco de açúcar (isso corta a acidez do tempero) depois deixar evaporar um pouco,  deixar esfriar e despejar sobre os legumes.

Por Ana Carolina Rocha

Fonte: Coleção Ana Maria de cozinha (sem data específica)





CONTINUE NAVEGANDO: