Junho é o mês das festas de São João, conhecidas e adoradas por suas divertidas e apetitosas tradições. Quem nunca recortou bandeirinhas ou nunca dançou quadrilha? Quem nunca assistiu a um casamento caipira e se deliciou comendo um pedaço de bolo?

O mais atrativo nas festas juninas, trazidas pelos portugueses, talvez seja a culinária típica à base de milho, que oferece deliciosas opções para matar a fome enquanto se aprecia a festa ao redor de uma fogueira. Entre as comidas típicas de São João estão a pipoca, a canjica, a pamonha, o bolo de milho, a paçoca, o pé de moleque, o pinhão e, para beber, o quentão.

Algumas dessas delícias, porém, são características da região em que ocorre a festa, ficando restritas àquele lugar, mas festa junina sem o quentão não é a mesma coisa. Aprenda a fazer essa saborosa bebida e entre no clima de uma das festas mais adoradas em todo o Brasil!

Ingredientes:

– 1 garrafa (750 ml) de vinho tinto suave;

– a mesma medida de água;

– 1 xícara (chá) de açúcar;

– 20 cravos da índia;

– 10 paus de canela;

– cascas de duas laranjas;

Modo de preparo:

Em uma panela, leve ao fogo a água, o açúcar, o cravo, a canela e as cascas de laranja. Mexa até dissolver o açúcar. Quando começar a fervura, abaixe o fogo e deixe ferver por 20 minutos.

Acrescente o vinho. Depois que a fervura recomeçar, aguarde mais 5 minutos.

Desligue o fogo, sirva imediatamente e tenha um ótimo “arraiá”!


A festa junina, comemorada em todo o Brasil, em algumas regiões com celebrações mais grandiosas e em outras menos, possui como características os pratos e bebidas que dá vontade de comer o ano inteiro. Um desses pratos é o quentão, uma bebida alcoólica que é servida quente durante o inverno.

Fazer quentão é uma tarefa simples:

– ferver 2 litros de água,

– 1 raíz de gengibre ralada,

– meia xícara de chá de erva-doce,

– 8 paus de canela,

– 1 colher de sopa de cravos-da-índia,

– casca de 1 limão,

– 3 colheres de mel,

– açúcar a gosto.

Depois de fervido, coar os elementos sólidos em um pano. Junte a cachaça, aqueça bem e sirva.

Por Ana Carolina Rocha

Fonte: Revista Coleção Cozinha Ana Maria nº3 Editora Azul





CONTINUE NAVEGANDO: