Alimentos Orgânicos: vida saudável – Dicas



  

No alimento orgânico tudo é natural, não há agrotóxicos, fertilizantes sintéticos, conservantes químicos ou aditivos. O respeito com o meio ambiente, a responsabilidade social e os diversos programas ambientais são consequências dessa escolha de vida.

Muita gente não sabe, mas não só frutas e verduras podem ser produzidas dessa maneira, o processo pode ser usado com qualquer alimento: doces, pães, massas, laticínios, etc. No Brasil o conhecimento sobre o assunto é ainda pequeno, mas na Europa, por exemplo, podemos encontrar até roupas que tiveram seu processo de produção livre de aditivos químicos.

E não alcançamos apenas benefícios pessoais, “o modelo orgânico é socialmente mais justo e traz benefícios ecológicos em escala global”. Já que quem produz o alimento orgânico é sempre as pequenas propriedades e associações de agricultores, deixando de lado a indústria agroquímica. A propriedade se torna auto-sustentável.





A técnica para produzir alimentos orgânicos é antiga, ao contrário dos transgênicos, não há nenhum uso de fertilizantes, drogas veterinárias, aditivos, hormônios e químicos em geral. Esse é o motivo mais relevante para muitos adeptos da alimentação orgânica. Estudos sobre os agrotóxicos comprovam que seus efeitos são cumulativos no organismo e são a origem de muitos males modernos, além é claro de câncer, problemas neurológicos, dores de cabeça, alergias e etc.

Mas não é fácil excluir os alimentos não orgânicos da nossa vida, principalmente para os que vivem nas grandes cidades e para os que não podem pagar pelo custo alto dos produtos disponíveis no mercado.  Nesses casos, o melhor é escolher bem entre os que têm menos aditivos químicos em todo o processo de produção. Preferir sempre frutas e verduras de época; lavar tudo o que for consumir em água corrente com esponja e deixar de molho numa solução com vinagre; excluir as folhas externas das verduras, pois receberam mais agrotóxicos; retirar a gordura dos frangos, pois as substâncias tóxicas se acumulam nos tecidos gordurosos e dar preferência aos alimentos regionais que não precisam deslocar-se de grandes distâncias. E uma boa dica é: encontre um espaço na sua casa e monte sua própria horta!

Por Daniela F. Santoro



Quer deixar um comentário?

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *